House of Caju

Bolsa Feminina Em Couro Gabriela Leite

CÓD. HC11137CMFRDOR
R$ 399,0010x de R$ 39,90 sem juros ou R$ 359,10 à vista

Companheira HCGABRIELALEITE :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Não sei o meu CEP

CALCULANDO FRETE

Tipo Valor Prazo
VEJA MAIS CONDIÇÕES DE PARCELAMENTO. Clique aqui

Formas de parcelamento no cartão

  • 01 x de R$ 399
  • 02 x de R$ 200
  • 03 x de R$ 133
  • 04 x de R$ 100
  • 05 x de R$ 80
  • 06 x de R$ 67
  • 07 x de R$ 57
  • 08 x de R$ 50
  • 09 x de R$ 44
  • 10 x de R$ 40

HCGABRIELALEITE

Companheira HCGABRIELALEITE :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.
 
43.0cm X 30.0cm X 13.0cm

(Comprimento x Altura x Profundidade)

Espaço interno reprojetado com detalhes dos arquivos da House of Caju

Bolso interno com forro em tecido

Peças metálicas personalizadas

Acabamento em couro da cor Caramelo

Código exclusivo dessa companheira: HC00016

A história por trás do nome dessa companheira:

A paulista Gabriela Leite é socióloga formada pela Universidade de São Paulo (USP) e durante muitos anos ganhou a vida como prostituta. Trabalhou na Boca do Lixo, região caracterizada por ser uma zona de meretrício, localizado na região central de São Paulo, perto do Bairro da Luz e depois na Vila Mimosa, considerada uma das mais famosas áreas de prostituição da cidade do Rio de Janeiro. Nos anos de 1980 transferiu-se para a zona boêmia de Belo Horizonte, Minas Gerais.Gabriela tinha 22 anos quando resolveu ser prostituta. Isto aconteceu por volta dos anos 1970, enquanto cursava a faculdade de Filosofia na Universidade de São Paulo (curso para o qual havia passado em segundo lugar). Nesta época tinha um emprego de secretária e morava com a mãe. Porém, inquietava-se com a vida que levava. Entre interessada e curiosa observava as prostitutas que trabalhavam nos arredores da faculdade. Movida por esta atração e o desejo de mudança optou em ser prostituta do baixo meretrício paulista.De volta ao Rio, em 1992, Gabriela fundou a Ong Davida organização que tem por objetivo promover a cidadania das prostitutas, romper com os estereótipos, promover políticas públicas para categoria, obter o reconhecimento legal da profissão, conquistar melhores condições de trabalho e qualidade de vida para as profissionais do sexo, dentre outras iniciativas. Esta organização, a partir de concepções idealizadas por Gabriela, defende a idéia de que não se deve tratar a prostituição apenas como falta de opção para as mulheres em situação de pobreza. A organização atua na área da educação, saúde, comunicação e cultura. Seu slogan é Prostituição, direitos civis, saúde. Deve-se acrescentar que Gabriela também está à frente da Rede Latino-Caribenha de Trabalhadoras do Sexo (Retrasex).Conciliando estratégia de marketing e busca de autonomia econômica, Gabriela no ano de 2005 idealizou a grife Daspu (uma corruptela de Das Putas ) nome este escolhido como provação a grife Daslu, considerada a maior loja de artigos de luxo do Brasil. Gabriela lançou no início de 2009 o livro Filha, mãe, avó e puta: a história de uma mulher que decidiu ser prostituta profissional. Revela nesta obra autobiográfica, sua trajetória de vida como prostituta desvenda, revela o mundo da prostituição. Aborda com clareza e naturalidade os diversos tabus da profissão. Narra histórias curiosas sobre seus clientes, as drogas, a figura do cafetão, dentre diversos outros elementos existentes deste universo.Gabriela, ferrenha defensora da liberdade é conhecida e respeitada por falar o que pensa. É esta mulher que hoje é a porta-voz das prostitutas. Atuando na Ong Davida, reivindica respeito e direitos. Desvela os tabus que aguçam o imaginário coletivo em torno de uma das profissões mais antigas da humanidade. Pensa a prostituição enquanto profissão e como tal levanta as questões relacionadas aos direitos e deveres das empregadas e empregadores.Atualmente Gabriela está casada com o jornalista Flavio Lenz, irmão da poeta Ana Cristina César.

*OBSERVAÇÃO: Cada companheira da House of Caju possui uma história exclusiva, portanto a história acima pertence a companheira desta foto, cada companheira adquirida virá com uma história diferente.

Você já usou este produto?

Compartilhe a sua opinião com a gente.

Avalie este produto
0,0 de 5 estrelas (0 avaliações)
  • 5 estrelas
    (0)
  • 4 estrelas
    (0)
  • 3 estrelas
    (0)
  • 2 estrelas
    (0)
  • 1 estrela
    (0)