House of Caju

Bolsa Feminina Em Couro Beata Mocinha

CÓD. HC11301CMRJOR
R$ 499,0010x de R$ 49,90 sem juros ou R$ 449,10 à vista

Companheira HCBEATAMOCINHA :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Não sei o meu CEP

CALCULANDO FRETE

Tipo Valor Prazo
VEJA MAIS CONDIÇÕES DE PARCELAMENTO. Clique aqui

Formas de parcelamento no cartão

  • 01 x de R$ 499
  • 02 x de R$ 250
  • 03 x de R$ 166
  • 04 x de R$ 125
  • 05 x de R$ 100
  • 06 x de R$ 83
  • 07 x de R$ 71
  • 08 x de R$ 62
  • 09 x de R$ 55
  • 10 x de R$ 50

HCBEATAMOCINHA

Companheira HCBEATAMOCINHA :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.

 

50.0cm x 27.50cm x 27.0cm

(Comprimento x Altura x Profundidade)

- Espaço interno reprojetado com detalhes dos arquivos da House of Caju

- Bolso interno com forro em tecido

- Peças metálicas personalizadas

Acabamento em couro da cor Caramelo

A história por trás do nome dessa companheira:

Há controvérsia quanto à cidade de origem, de Joana Tertulina de Jesus, mais conhecida por Beata Mocinha. Alguns dizem ter sido Quixadá outros Jaguaribe, ambos municípios do Ceará, no final do século XIX . Após ter sido adotada por João Mota e sua esposa, conhecida por, Dona Professora (nome atribuído a ela por ter sido a primeira a montar uma escola, paga pelo governo, naquela região), foi conduzida a Juazeiro. Poucos anos após a adoção, Dona Professora teria sido transferida a Quixadá. Tendo em vista a fragilidade da saúde da jovem Joana Tertulina, que nos seus 11 anos vivia tossindo e sofrendo hemoptises, Dona Professora ressentia-se dos riscos que a viagem causaria a frágil saúde da jovem adotada. O casal submeteu o impasse ao parecer do Padre Cícero, que prontamente dirimiu a questão, sugerindo ao casal deixar a jovem sob seus cuidados. A índole conciliadora, da jovem Joana e seus dotes administrativos, a conduziria, em futuro próximo ao gerenciamento da casa de padre Cícero. Segundo o pároco Azarias Sobreira, durante decênios seria como um anjo de boa inspiração para o padre Cícero, em horas das mais aflitivas de sua existência. Era ela que conseguia que o padre tomasse os medicamentos prescritos pelo médico, convencê-lo a fazer as parcas refeições de cada dia, nos momentos críticos de sua saúde, era ela também, que impedia que a multidão, chegada de terras distantes e desejos de um contato com o padre Cícero entrasse de roldão casa adentro eram homens e mulheres de todo o Nordeste. Joana, com sua capacidade de coordenar, sua voz firme e poder de comando, foi providencial na organização da vida econômica e administrativa do lar de Padre Cícero, assim como exímia zeladora de sua saúde. O codinome Beata tem a ver com a realidade da época e da região. Nesse período não existia Congregação Religiosa de mulheres, alguns padres, naquela região, conferiam mantos, véus e hábitos de monja a jovens que desejassem consagrar a Deus a sua virgindade. E a essas moças eram dadas a qualificação de Beatas, através de cerimônia pública e vestidura de hábito. A jovem Joana Tertulina de Jesus, ainda jovem, passou a fazer parte desse seleto grupo. 

Você já usou este produto?

Compartilhe a sua opinião com a gente.

Avalie este produto
0,0 de 5 estrelas (0 avaliações)
  • 5 estrelas
    (0)
  • 4 estrelas
    (0)
  • 3 estrelas
    (0)
  • 2 estrelas
    (0)
  • 1 estrela
    (0)