House of Caju

Bolsa Feminina Em Couro Ademilde Fonseca

CÓD. HC1163PTTMOR
R$ 399,0010x de R$ 39,90 sem juros ou R$ 359,10 à vista

Companheira HCADEMILDEFONSECA :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Não sei o meu CEP

CALCULANDO FRETE

Tipo Valor Prazo
VEJA MAIS CONDIÇÕES DE PARCELAMENTO. Clique aqui

Formas de parcelamento no cartão

  • 01 x de R$ 399
  • 02 x de R$ 200
  • 03 x de R$ 133
  • 04 x de R$ 100
  • 05 x de R$ 80
  • 06 x de R$ 67
  • 07 x de R$ 57
  • 08 x de R$ 50
  • 09 x de R$ 44
  • 10 x de R$ 40

HCADEMILDEFONSECA

Companheira HCADEMILDEFONSECA :  é sempre aquilo que você precisa que ela seja. Espaçosa e utilitária sem perder o estilo, ideal para ser usado na cidade ou no interior podendo até mesmo ser usada em ocasiões especiais.

 

33.0cm x 26.50cm x 13.0cm

(Comprimento x Altura x Profundidade)

Espaço interno reprojetado com detalhes dos arquivos da House of Caju

Bolso interno com forro em tecido

Acabamento em couro da cor Preto

 

A história por trás do nome dessa companheira:

Cantora pernambucana criada em Macaíba (RN). Muito jovem ligou-se a um grupo seresteiro local, do qual fazia parte Laudimar Gedão Delfim, com quem veio a se casar, mudando-se com ele, em 1941, para o Rio de Janeiro. Ademilde cantou em programas de calouros até obter o sucesso com a interpretação da música tico-tico no fubá , de Zequinha de Abreu. Sua fama em cantar choro aumentou e ficou consagrada como a maior intérprete de choro com a música Rato, rato de Claudino da Costa. Em 1950 Brasileirinho de Waldir Azevedo foi outro sucesso. Em 1964, ao lado do cantor Jamelão, exibiu-se durante seis meses em Lisboa, Portugal. Em 1967 participou do II Festival Internacional da Canção, com a música  Fala baixinho de Pixinguinha, com a letra de Hermínio Belo de Carvalho. Relançamento de suas principais interpretações em LP em 1975. Voltou aos palcos na década de 1980 participando do projeto Pixingão na sala Funarte. Em 1999 recebeu o Troféu Eletrobrás e o Troféu da Gafieira elite por ter popularizado o chorinho com letra. 

*OBSERVAÇÃO: Cada companheira da House of Caju possui uma história exclusiva, portanto a história acima pertence a companheira desta foto, cada companheira adquirida virá com uma história diferente.

Você já usou este produto?

Compartilhe a sua opinião com a gente.

Avalie este produto
0,0 de 5 estrelas (0 avaliações)
  • 5 estrelas
    (0)
  • 4 estrelas
    (0)
  • 3 estrelas
    (0)
  • 2 estrelas
    (0)
  • 1 estrela
    (0)