quem sou / nós?

'cum `com´ + panis `pão´'

Título curioso para um texto institucional? Não, só a explicação breve para nossas íntimas razões de ser.

A House Of Caju, artisticamente, produz bolsas. Achamos, assim, que o nome “companheira”, de origem latina, fosse de bom tom - nesse caso sem o Jobim - e melodicamente encarando a brasilidade com força e coragem para a criação das nossas veniagas.

Sim, nosso dna é a brasilidade.

Conceito amplo, a considerar nossa miscigenação e multiculturalismo da terra brasilis. Os recortes aqui são pensados em todas as referências históricas do mundo (além da moda), e nos coloca em espaços de conceito. É isso! Queremos também ser conceito.

Somos fruto nativo do Brasil. Somos o caju - fruta e castanha - um dia levado por portugueses para outros continentes, mas que é nossa digna referência até hoje. Vale relatar que aqui ficaram (os portugueses) por um período na cidade que virou postal do Brasil, Rio de Janeiro. Depois seguiram sua trajetória de volta a casinha ibérica.

A gente, após tudo isso, na fantasia de ser realização, empreende ideias para a House, casa da mulher brasileira, surgir com sua raiz indígena(caju). Nosso plano: oferecer companheiras (as bolsas) para afetuosamente compartir o pão diário das nossas novas amigas (as clientes).  


Assim, o samba grita um novo nome: House Of Caju. Nossa caminhada foi com pedras no caminho, mas não ficamos no banco com Drummond , tivemos que abrir estradas.

2017, o ano da pesquisa, interior paulista, cidade do basquete, dos pisantes masculinos e também referência em couro.

Sim, todas as companheiras são feitas - olha a hipérbole - de couro legítimo. Só material poético, rimado com qualidade e respeitabilidade ao cliente.

Fomos para Franca, plantamos um novo cajueiro. O motivo? Estar próximo dos cristais paulista. Beber de outras culturas e partir para algo mais desacelerado, valorizar nossa House criativa e firmar compromisso com o belo.

Uma questão de identidade. Nossas companheiras estarão sempre acompanhadas com referências de mulheres que transcenderam o momento vivente e foram além. São luzes para a ideologia que compartilhamos com o mundo: transparência e dignidade.

Aqui tudo é seleção natural: sobrevive o mais respeitoso.

Houseando!